Recordações em linha: vetores da memória discursiva que o rompimento da barragem não levou

Coordenação: William Augusto Menezes (williamenezes@hotmail.com)

Acessoria: Cultura e Arte

Setor: Departamento de Letras

Resumo: O projeto visa a constituição de uma espécie de museu online a partir de objetos pessoais e/ou do patrimônio coletivo trazidos à tona por particulares, sobretudo por ex-moradores de áreas atingidas pelo mar de lama ocasionado pelo rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana. Na medida em que esses objetos são reconhecidos, eles tornam-se alvo de comentários e são percebidos como elementos em torno dos quais se contam histórias e se apresentam recordações. Ou seja, estabelecem-se como signos de uma memória coletiva narrativizada (familiar, de um grupo, da comunidade etc.) e aquilo que Michel Pêcheux denominou vetores da memória discursiva. Tal museu virtual poderá conter, assim, desde álbuns fotográficos e utensílios domésticos até objetos mais complexos do meio ambiente. Funcionando em uma página web e contando com recursos de, guardará, hipertexto, portanto, imagens, descrições e narrativas essenciais à manutenção de vínculos entre as coletividades atingidas, estará aberto à visitação online por qualquer membro das comunidades e internautas de todo o mundo.  Assim, a ação conjunta entre a equipe do projeto e as comunidades atingidas poderá contribuir na organização dessa memória discursiva, a partir da coleta de objetos, registros e organização do museu em linha, aproximando ainda mais a universidade e a cidade, em torno da narratividade de suas comunidades, em uma dimensão que combina aspectos de âmbito local e perspectivas de interesse global.